Capa

Capa

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Em festa do PT, Agnelo afirma que eleitor disse 'não à corrupção'


Eleito no DF lembrou escândalo que levou à prisão de José Roberto Arruda.
Vice de Agnelo, que já integrou governo de Joaquim Roriz, foi vaiado.

O governador eleito do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), afirmou neste domingo (31), em discurso na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, que seu governo será “um novo caminho, de ética e recuperação” e que os eleitores disseram “não à corrupção”.

O discurso foi uma referência à crise no governo do Distrito Federal que resultou na prisão e cassação de mandato do ex-governador José Roberto Arruda e na renúncia do vice, Paulo Octávio, investigados em suposto esquema de corrupção investigado pela Polícia Federal na operação Caixa de Pandora, que envolvia ainda deputados distritais, integrantes do primeiro escalão do governo e empresários.

“Nosso povo quer essa mudança, que estava engasgada em nossa garganta há 14 anos”, declarou, ao citar o tempo que o ex-governador Joaquim Roriz comandou o governo do DF. Agnelo derrotou na campanha a mulher de Roriz, Weslian, que substituiu o ex-governador na disputa após o ex-governador ter a candidatura barrada com base na Lei da Ficha Limpa. Durante o discurso de Agnelo, o público presente na festa do PT gritou “Roriz nunca mais”.
O vice de Agnelo, Tadeu Filippelli (PMDB), também discursou, mas foi vaiado durante toda a sua fala, que demorou cerca de 3 minutos. Filippelli já integrou o governo de Joaquim Roriz, como secretário, mas rompeu com o ex-governador. “Uma vitória é construída ao longo do tempo. É construída com uma boa coligação”, afirmou.

Perguntado sobre as vaias a seu vice, Agnelo minimizou. “Isso é pontual”, limitou-se a dizer. O governador eleito afirmou que, com a vitória de Dilma Rousseff à Presidência, o relacionamento com o governo federal será facilitado. “Significa colocar nosso plano de governo em prática”, afirmou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário