sábado, 23 de outubro de 2010

Lembra dele? Rinaldo foi 'fominha' com Pelé, mas não se arrepende


Pernambucano lembra do dia em que entrou para a história por impedir o gol de número 1285 do Rei; ele fazia 22 anos e estreava pela Seleção

 No filme "Efeito borboleta" (de 2004), inspirado na Teoria do Caos, o protagonista Evan Treborn (Ashton Kutcher) descobre a capacidade de viajar pelo tempo por meio de lembranças e tenta mudar seu passado repleto de erros. Muitas pessoas gostariam de ter esse poder. Não o ex-atacante Rinaldo.
Poucos jogadores na história do futebol ficaram tão marcados por um único lance. O cenário era o estádio San Siro, em Milão, na Itália. Em 31 de outubro de 1990, uma semana após completar 50 anos, Pelé voltava a vestir a amarelinha e disputou um amistoso pela Seleção Brasileira contra um combinado de estrelas do futebol mundial. Naquele dia, Rinaldo, então no Fluminense, completava 22 anos e fazia sua estreia pelo Brasil. Formava o ataque da renovada equipe brasileira, dirigida por Falcão, ao lado do próprio Rei e de Charles Baiano.
Na hora ele ficou bravo (risos). Mas depois veio me falar que eu fiz o certo, que tive pouco tempo para definir, e que atacante tem mesmo que chutar a gol"
Rinaldo
Em um lance, já no segundo tempo, Rinaldo arrancou pela esquerda contra apenas um zagueiro, enquanto Pelé vinha a seu lado totalmente desmarcado, só esperando receber a bola para marcar o gol. Mas o atacante tricolor preferiu finalizar e errou, impedindo o Rei de marcar o seu gol de número 1285.
Sem arrependimentos
O ex-volante César Sampaio, que também fazia sua estreia pela Seleção naquele dia, relata o sentiu naquele momento.
- Ninguém entendeu porque ele não passou para o Pelé. Foi estranho, todos ficaram se olhando. Durante toda a minha carreira, nunca mais ouvi uma vaia tão grande quanto aquela no San Siro.
Rinaldo, no entanto, não se arrepende. Sorridente, e sem guardar rancor, acha até que o lance foi importante para a sua carreira, pois é bastante lembrado até hoje.
- Tive apenas um segundo para definir. Decidi arriscar. Estava jogando contra os melhores defensores do mundo e não podia esperar. Mas a verdade é que não vi o Pelé – revelou o ex-atacante.
Rinaldo PeléRinaldo olha para Pelé após ter negado ao Rei do
Futebol a chance de marcar um gol  (Reprodução)
Rinaldo vai além e revela que até Pelé o elogiou pelo lance.
- Na hora ele ficou bravo (risos). Mas depois veio me falar que eu fiz o certo, que tive pouco tempo para definir, e que atacante tem mesmo que chutar a gol – contou o ex-atacante que, após a partida, teve a camisa autografada por Pelé.
Após o amistoso, Rinaldo até foi convocado em outras oportunidades por Falcão, mas não entrou mais em campo. No retorno ao Fluminense, foi envolvido em uma troca com o meia Bobô, do São Paulo, no início de 1991. No Tricolor Paulista, com Telê Santana nunca foi titular, mas conquistou títulos importantes, como o Campeonato Brasileiro (1991) e a Libertadores (1992).
Durante toda a minha carreira, nunca mais ouvi uma vaia tão grande quanto aquela no San Siro"
César Sampaio
Em 1993, ainda voltou ao futebol pernambucano para defender o Sport e conquistou dois campeonatos pernambucanos (1992 e 1994). Negociado com o futebol português, ainda jogou no Japão e na Áustria, onde encerrou a carreira.
Aposta no ‘novo Imperador’
Após encerrar a carreira, o paraibano Rinaldo adotou Recife e fixou residência na cidade. Mas quis o destino que o futebol, mais uma vez, mudasse o rumo de sua vida. Seu filho mais velho, Matheus, então com 14 anos, foi convidado para realizar um teste no Sporting Lisboa e acabou se mudando para Portugal com a família. Há quatro anos no país, o ex-jogador acabou assumindo a equipe sub-14 do clube português.
- Estava tudo certo para ele fazer um teste no São Paulo. Mas pintou o convite do Sporting. Chegando lá, os caras ficaram doidos logo no primeiro tempo e o convidaram para jogar pelas categorias de base do clube – disse, para depois salientar as qualidades do garoto.
- Ele é muito bom. Faz muito gols e tem uma canhota potente. É muito forte também. Parece muito com o Adriano – ‘corujou’.
Segundo Rinaldo, o filho já até recebeu convite para defender as seleções de base de Portugal. Mas recusou, pensando em um dia defender a Seleção Brasileira.
- Ele é são-paulino e sonha um dia defender algum clube grande do Brasil e a Seleção Brasileira.
Se isso realmente acontecer, quem sabe Matheus não terá chance para reescrever a história da família no escrete canarinho.
Rinaldo Reinaldo MatheusCom a camisa autografada, Rinaldo posa ao lado dos filhos. Ambos atuam na base do Sporting. Matheus (à dir.), de 18 anos, é atacante. Lucas, de 16, é volante: 'Lembra o Mauro Silva', diz o pai (Viviany Mesquita)

Nenhum comentário:

Postar um comentário