sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Campanha distribui em SP cartão com frase de Serra sobre Jesus


"Jesus é a verdade e a justiça", é a frase assinada pelo candidato.
Material foi distribuído em encontro com professores em São Paulo.

Cartão distribuido em evento em São PauloCartão distribuido em evento em São Paulo: foram
impressos dois milhões de exemplares (Foto:
Reprodução)
Um cartão plástico com uma frase do candidato José Serra (PSDB) sobre Jesus Cristo foi distribuído pela campanha do presidenciável nesta sexta-feira (15), em evento com professores em São Paulo.

A expressão "Jesus é a verdade e a justiça", seguida da assinatura do candidato,  estampa uma das faces do cartão de plástico. No outro lado do material, há uma fotografia do candidato ao lado de crianças, com o lema "Serra é do bem", empregado pela campanha tucana neste segundo turno.
Os cartões ficavam à disposição em duas grandes mesas na entrada do salão principal do evento, ao lado de outras peças publicitárias de campanha. O material apresenta dados da candidatura e, como obriga a legislação, traz a tiragem total das peças. Foram impressos dois milhões de exemplares. A reportagem presenciou funcionários descarregando uma caixa com os cartões.
A frase foi dita pelo candidato durante participação em feira evangélica em São Paulo, em 7 de setembro. Na ocasião, Serra disse que coloca em prática os valores do cristianismo na vida pessoal e na política, e lembrou que as doutrinas evangélicas convergem para o essencial. “Todas convergem naquilo que é o essencial: que Jesus é a verdade e a justiça”.
Questão religiosa na campanha
Em 12 de outubro, durante visita ao Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, o candidato negou que a inclusão de temas religiosos no debate eleitoral possa contribuir para banalizar a religião. Afirmou ainda que a religião entrou na campanha por iniciativa do público, e não da oposição. "A questão religiosa entra naturalmente. Não aparece como estratégia de campanha. A maioria da população é religiosa. Isso [o debate religioso] não macula o estado brasileiro, que é laico", disse.
Nesta quinta-feira (14), o presidente do PSDB e coordenador da campanha tucana, Sérgio Guerra, disse que o tema da religião entrou na campanha pela "incapacidade" de Dilma Rousseff (PT) de se referir ao tema do aborto. "Essa questão religiosa não fomos nós que indexamos", disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário