quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Bruno desmaia e é socorrido em sala de audiência na Grande BH


Goleiro foi socorrido por paramédicos do Corpo de Bombeiros.
Ele e todos os réus do caso Eliza acompanharam depoimentos.

O goleiro Bruno teve um desmaio e uma suspeita de convulsão dentro da sala de audiência no fórum em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O advogado dele, Ércio Quaresma, tentou ajudar o goleiro e, às 10h55, cerca de 5 minutos depois do desmaio, chegou uma ambulância do Corpo de Bombeiros. Ele saiu de maca do fórum.
bruno desmaiaBruno desmaia em audiência em Ribeirão das Neves (Foto: Pedro Triginelli/G1)
Bruno; o amigo Luiz Henrique Romão, o Macarrão; o ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola; Sérgio Rosa Sales e Elenilson Vitor da Silva chegaram ao Fórum em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, às 10h desta quarta-feira (6). A Justiça ouve 21 testemunhas do processo sobre o desaparecimento e morte de Eliza Samudio.
A mulher de Bruno, Dayanne de Souza, e a noiva dele, Fernanda de Castro, chegaram ao fórum por volta das 10h40. As duas estãso presas na mesma penitenciária, em Belo Horizonte.
Segundo o Tribunal de Justiça de Minas Gerais, duas pessoas foram arroladas pela acusação, três pela acusação e pela defesa e 16 somente pela defesa.
O advogado Frederico Franco, que defende Elenilson, disse que todas as testemunhas deles são importantes para o caso, mas só uma testemunha será usada na defesa de seu cliente.
Cleiton Gonçalves da Silva, que dirigia a Range Rover quando ela foi apreendida em Minas por excesso de velocidade, é uma testemunha de acusação que será usada pela promotoria. A mulher dele também deve ser ouvida.
De acordo com o advogado de Bruno, Ércio Quaresma, o goleiro não será ouvido nesta quarta-feira (6). Ele deve falar ao juiz no dia 14 de outubro. O advogado disse que acha importante que os acusados acompanhem essas audiências mas, segundo ele, a própria testemunha pode pedir que os réus sejam retirados da sala. Segundo o Tribunal de Justiça de Minas Gerais, somente as testemunhas de acusação podem pedir, diretamente ao juiz, que os réus sejam retirados da sala, e o magistrado autoriza ou não o pedido.
Blog do Augusto Nunes

Nenhum comentário:

Postar um comentário