Capa

Capa

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Lula diz que usam 'cara de pau' para propor 13º para o Bolsa Família

Proposta foi apresentada por José Serra (PSDB); Lula não citou tucano.
Em comício, presidente pediu votos para Dilma evocando figura materna.

Em comício na noite desta quarta-feira (29) em Aracaju, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu votos para a candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, evocando, mais uma vez, a figura de uma mãe para “cuidar” do país e criticou propostas apresentadas pelo candidato do PSDB, José Serra, como um 13º salário para o Bolsa Família e o aumento do salário mínimo para R$ 600. A candidata petista não participou do evento.

Sem citar o nome do tucano, Lula afirmou que, quando o programa Bolsa Família, uma das principais vitrines de seu governo, foi criado, diziam que se tratava de uma “esmola”.

“Hoje, os que diziam que era esmola estão até com a maior cara de pau prometendo 13º para o Bolsa Família. Eles pensam que nós somos aqueles eleitores bobinhos de 20 anos atrás. Tem um deles que até está prometendo aumento do salário mínimo. Ora, eles governam o Brasil há 500 anos. Por que não deram aumento de salário mínimo?”, questionou, afirmando em seguida que houve aumento de 74% do salário mínimo em seu governo.

O G1 deixou recado no celular do senador Sérgio Guerra (PSDB-PE), presidente do PSDB e coordenador da campanha de Serra, e aguarda resposta.

'Barbudo'

Lula voltou a dizer que é grato por ter perdido três eleições para a Presidência da República porque só venceu quando estava “mais calejado, mais maduro”. Ele relatou que, nas primeiras campanhas, ficava descontente por ser, segundo ele, alvo de preconceito por parte da população mais pobre.

“Votavam contra mim porque estavam desinformados. Naquela época, eles diziam que Lula era um barbudo e, por ser barbudo, era comunista. E eles se esqueciam que Jesus era barbudo, se esqueciam que Tiradentes tinha sido barbudo”, disse.

'Cuidar como uma mãe'

Como tem feito durante a campanha, o presidente evocou a figura materna para pregar o voto em Dilma. “Não precisarmos ser governados. A palavra governar é elitista. Precisamos ser cuidados. Governar é um jeito burocrata que eles faziam, governar para a minoria. O que nós queremos é cuidar como uma mãe cuida dos seus filhos”, afirmou.

O presidente afirmou que foi questionado se uma mulher teria “a mesma capacidade do homem” e disse que pensou na mãe, dona Lindu.

“Como é que eu poderia considerar a minha mãe mais fraca? Foi ela que me ensinou a andar, que me deu comida enquanto eu não aprendi a comer, ela que me lavava (...). Como é que alguém que tem competência de cuidar tão bem dos nossos filhos não pode cuidar de 190 milhões de brasileiros?”, disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário